O número de crimes cometidos por extremistas de direita na Alemanha em 2020 saltou para o nível mais alto em pelo menos quatro anos, de acordo com dados preliminares divulgados nessa quinta-feira (4/2).

As polícias dos 16 estados alemães registraram 23.080 crimes de extrema direita no ano passado – cerca de 700 a mais que no ano anterior –, segundo números publicados pela deputada Petra Pau, do partido A Esquerda.

Mas essa cifra ainda pode subir quando os dados totais forem computados, com possibilidade de superar o recorde de 2016, o maior da série histórica iniciada em 2001. Em 2016, o país registrou 23.555 crimes envolvendo a extrema direita, em meio à crise dos refugiados que ocorria naquele ano.

Pau, uma das vice-presidentes do Parlamento alemão e cujo partido solicita regularmente as informações do Ministério do Interior sobre atividades da extrema direita, disse que “não ficou surpresa” com os números mais recentes. “A aceitação da violência como substituta da política está aumentando”, disse ela ao jornal berlinense Der Tagesspiegel.

A deputada acrescentou que a crise do coronavírus agiu como um “impulsionador” do crime de extrema direita, da mesma forma que a crise dos refugiados em 2015 e 2016.

Violência

A polícia alemã registra “crimes de motivação política” desde 2001. Aqueles categorizados como ocorrências envolvendo a extrema direita incluem desde fazer a saudação nazista em público (algo proibido no país) até ataques terroristas que resultam em mortes.

Os números preliminares de 2020 contêm 1.054 crimes violentos, que deixaram pelo menos 307 feridos. Mas o balanço ainda não inclui as nove pessoas assassinadas em um ataque terrorista de motivação racista que ocorreu em Hanau em fevereiro do ano passado, informou o Tagesspiegel.

Esses números são divulgados em meio a preocupações crescentes na Alemanha sobre o aumento do extremismo violento de direita. Em julho, o ministro do Interior, Horst Seehofer, declarou que o extremismo de direita, o racismo e o antissemitismo são as “maiores ameaças à segurança” da Alemanha.

Condenações

Na semana passada, o neonazista alemão Stephan Ernst foi condenado a prisão perpétua pelo assassinato do político pró-migração Walter Lübcke.

E nessa quinta-feira, um tribunal de Dresden considerou quatro pessoas culpadas de pertencer a um grupo terrorista de direita que foi ativo no leste da Alemanha em 2015.

Um homem de 27 anos recebeu uma sentença de dois anos e meio de prisão por seu envolvimento na destruição de um carro de propriedade de um político de esquerda local e no ataque a um escritório do partido A Esquerda na cidade de Freital, perto de Dresden.

Sentenças suspensas de dois anos foram aplicadas a dois homens, de 53 e 31 anos de idade. Uma mulher de 31 anos recebeu uma pena suspensa de seis meses por apoiar a organização ilegal, conhecida como Gruppe Freital.

O post Alemanha registra aumento de crimes de extrema direita apareceu primeiro em Metrópoles.

Powered by the Echo RSS Plugin by CodeRevolution.