Denunciado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) em um dos três inquéritos policiais que investigam crimes sexuais, o empresário Rodrigo Carvalheira foi preso em 11 de abril a partir de um fato bem determinante: a interceptação de uma ligação telefônica. Para a Justiça pernambucana, a comunicação entre Carvalheira e uma amiga dele, a delegada Natasha Dolci, mostrou que “o empresário estava tentando atrapalhar as investigações”.

Menos de uma semana depois de ser levado ao Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife, Carvalheira foi solto, na quarta (17/4). Para permanecer fora da cadeia, no entanto, o empresário terá de ser monitorado por tornozeleira eletrônica.

Para ler a reportagem completa acesse Diario de Pernambuco, parceiro do Metrópoles.

Powered by the Echo RSS Plugin by CodeRevolution.